Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo

TV linear ainda supera, de longe, o consumo sob demanda, mesmo entre conectados a outras telas

A TV que a gente vê em tempo real

Mesmo quem dispõe de outras possibilidades de assistir à TV, por meio de smartphone, notebook, Apple TV ou outros devices, continua preferindo ver televisão pelo próprio televisor, e portanto, no momento em que o programa está sendo transmitido. A isso chamamos TV linear, tradicional modo de ver TV, aquela que não é vista sob demanda.

Apesar do crescimento irreversível no hábito de se ver TV quando e onde quisermos, o hábito da TV em tempo real ainda lidera, de longe, o consumo do conteúdo televisivo. Isso é o que indicam os dados de um estudo global, o Dimension, da Kantar IBOPE Media, ao qual o TelePadi teve acesso em primeira mão.

Feito antes da temporada de quarentena, o levantamento aponta que assistir à televisão em um aparelho de TV é predominante entre 97% dos consumidores conectados, patamar que mal se altera entre as diferentes faixas etárias. A pesquisa foi feita em oito países, com uma mostra de 8 mil pessoas por região, englobando Argentina, Brasil, China, França, Alemanha, Espanha, Reino Unido e EUA.

Na média dos oito mercados, 77% dizem assistir à TV em um aparelho de TV pelo menos uma vez por dia. Embora esse número diminua na faixa etária de 18 a 34 anos, ele ainda é alto, com 66%. Enquanto isso, 77% consomem conteúdo por meio de device conectado à TV e 83% (chegando a 95% na faixa de 18 a 34 anos) fazem isso por meio de um site ou aplicativo. O conteúdo da TV via IP agora é uma atividade comum.

Por device, podemos entender qualquer aparelho como  smartphone, notebook, Apple TV, iPad ou outros tablets.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione