Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo

Silvio Santos manda suspender escalada de manchetes do SBT Brasil

Rachel Sheherazade, apresentadora do SBT Brasil, que cumpre dias finais de contrato na emissora. Foto: Reprodução

Como faz com frequência (e agora, confinado em casa, em doses maiores), Silvio Santos telefonou para o SBT esta semana e reclamou que não gostou nada daquele “resumo de notícias” que apareceu no início do telejornal.

Não gostou das notícias? Do enfoque? Do formato?

De nada, respondeu ele. E mandou tirar aquilo do noticiário.

Resumo da ópera: o SBT Brasil agora se diferencia de todo e qualquer noticiário de TV no mundo todo porque não tem mais escalada de notícias, as manchetes da edição. Para a televisão, a escalada equivale a uma primeira página de jornal, com os assuntos mais relevantes a serem abordados a seguir, estabelecendo uma hierarquia sobre a importância dos fatos do dia.

Desde que o SBT existe e ali há jornalismo, sempre houve escalada nos telejornais. Mas, para o dono do SBT, prestes a fazer 90 anos, a televisão é algo em permanente estado de transformações, inclusive de seus conceitos.

Por falar em SBT Brasil, Rachel Sheherazade, que já sabe que seu contrato não será renovado a partir de outubro, permanece à frente do noticiário, outra particularidade do SBT. Em qualquer emissora do planeta, emissora alguma mantém no ar alguém ao vivo que será dispensado dali a um mês.

Sheherazade, muito profissional, tem cumprido à risca suas responsabilidades como âncora do noticiário. A vaga será, a princípio, ocupada por Márcia Dantas, do Primeiro Impacto.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione