Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
Minha novela

Por questões jurídicas, Aguinaldo Silva engaveta ‘O 7º Guardião’ e trabalha em nova novela

“O Sétimo Guardião”, novela de Aguinaldo Silva prevista para estrear no segundo semestre de 2018, foi finalmente parar na gaveta. Embora a direção da Globo tenha assegurado a este blog que isso seria impossível, optou-se esta semana por guardar a trama pra uma outra ocasião, ou até para nunca mais ser realizada. A decisão é motivada pela notificação judicial movida contra o autor por Silvio Cerceau, um de seus ex-alunos na Master Class 3, terceira edição do curso de roteiro que ministra. Cerceau reivindica a presença de seus créditos como coautor da história, alegando que a sinopse de “O Sétimo Guardião” foi criada durante as aulas do mestre, com participação de todos os alunos.

No lugar daquela história, Aguinaldo assinará outra trama, que vem sendo desenvolvida há alguns meses, conforme ele me relatou no início de agosto, quando nos encontramos para gravar uma edição do “Persona em Foco”, na TV Cultura. Até esta semana, o autor vinha trabalhando paralelamente nas duas sinopses. Nesta quinta, Aguinaldo embarca para Portugal, com extensão planejada até Paris, na sequência, para enfim se dedicar apenas ao desenvolvimento de “A História dos Lobos”, título provisório da trama recém-criada.

Diante da informação da coluna de Patrícia Kogut, nesta quarta, pelo jornal “O Globo”, dando conta que o autor trabalha na nova sinopse, questionei Aguinaldo sobre a desistência de “O Sétimo Guardião”. “Na minha cabeça, neste momento, ela nunca existiu. Assim como a Master Class 3”, respondeu-me. No Twitter e Instagram, postou: “Seu Lobo Vem aí”. Em outro recado, informou: “Eu morei na Lapa, queridos. Aprendi com Madame Satã a dar rasteira em malandro. Ah, sim: o champanhe está ótimo.”

Aguinaldo assegurou também, por seus perfis nas redes sociais, que todos os atores reservados para “O Sétimo Guardião” estão garantidos para esta nova trama.

Os alunos do autor na Master Class eram 26. Apenas Cerceau questionou a presença de seu nome nos créditos de coautoria da trama. Alguns defenderam o autor publicamente. Outros tentaram fazer Cerceau desistir da possível ação na Justiça. Ao TelePadi, Cerceau garantiu ter provas de sua participação na criação da história, a serem apresentadas no momento oportuno, por orientação de seu advogado, e disse que só queria o reconhecimento pela coautoria.

De todo modo, “O Sétimo Guardião” reservava a tão aguardada volta de Nazaré, personagem que brilha atualmente em “Senhora do Destino”, do próprio Aguinaldo, na reprise do “Vale a Pena Ver de Novo”, com Renata Sorrah. E também o retorno de Perpétua, outra figura que é um hit da temporada, por meio da reprise de “Tieta”, também de Aguinaldo (com base na obra de Jorge Amado), no Canal Viva. O enredo previa ainda uma revisita do autor à narrativa abrigada por um microcosmo de Brasil por meio de cidades fictícias, o que ele fez em “Roque Santeiro”, “Pedra Sobre Pedra”, “Fera Ferida”, “Porto dos Milagres” e na própria “Tieta”, com toque de realismo fantástico.

Apesar de tantas referências ao universo de sua obra, Aguinaldo chegou a devolver, com correção e juros, o dinheiro investido pelos alunos na Master Class 3, a fim de evitar polemizar sobre a autoria do que fora criado em sala de aula. E a direção da Globo tentou protelar a produção da história, que originalmente era aguardada para o início de 2018, até finalmente engavetar a novela, para a lamentação de boa parte dos próprios colegas de Cerceau, que gostariam de vê-la no ar.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione