Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo

Kantar Ibope passa a mapear audiência do YouTube somada à TV

Kantar Ibope começa a identificar audiência de streaming a partir de abril / Foto: Divulgação

Qual o tamanho e o perfil de uma plateia que assistiu a uma campanha na TV e no YouTube? Quantas daqueles milhares ou milhões eram a mesma pessoa, que apenas reviu em uma tela o que já havia visto na outra? Quantos anos tem esse espectador e qual é sua identidade de gênero?

A Kantar Ibope começa a reunir em uma mesma tabulação os dados de público de TV e YouTube, enquanto conversa também com duas redes sociais ainda não nominadas para mensurar a recepção e o impacto de campanhas publicitárias.

O novo mecanismo serve às agências de publicidade, mas também aos executivos de TV, cujos canais são abastecidos pela verba que vem dos anunciantes. E quanto melhor for o planejamento de quem paga a conta, melhor será a realização desses investimentos também para as TVs.

A novidade foi anunciada nesta terça-feira (11) pela CEO da companhia, Melissa Vogel e o Brasil é o primeiro país a receber essa pesquisa de crossmedia.

A Kantar vem instalando nos domicílios de sua amostra, onde estão seus People Meters (aparelhos que mensuram a audiência de TV), um novo medidor, chamado Focal Meter. Acoplado ao roteador, o adendo vale para as residências onde existe o hábito de consumo de vídeos via internet.

Enquanto o Focal Meter ainda está em fase de instalação, a nova medição unindo YouTube e TV entregará aos clientes dados como sexo e idade dessa audiência. Com o Focal Meter instalado, até o fim do ano, será possível identificar outros dados do perfil desse espectador de streaming. O People Meter faz o mapeamento dessa plateia no uso da TV, mas não da internet.

“Mais que uma exigência, é uma necessidade”, diz Vogel. “O mercado está cada vez mais com esse olhar político integrado, cada vez mais multimídia, e necessita entender como isso é recebido em cada plataforma. Queremos entender o impacto e quem foi o responsável por esse resultado, qual foi a complementaridade entre elas, onde estão os [espectadores] exclusivos, onde estão os comuns, esse é o grande objetivo de uma solução como esta.”

Em um futuro breve, a Kantar espera levar essa solução a outras plataformas de streaming que abriguem campanhas publicitárias, como o GloboPlay e a Pluto TV. Netflix e HBO não têm publicidade.

“A metodologia do Cross Media Performance torna possível saber quantas pessoas e quantas vezes determinada campanha foi visualizada, o perfil da audiência e qual a participação da TV e das plataformas digitais na composição de um target de campanha publicitária”, completa Vogel. “Tudo isso para apoiar decisões estratégicas e o direcionamento mais efetivo da distribuição dos esforços em campanhas cross mídia.”

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione