Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
O que tem de bom?

Edinho, filho de Pelé, abre série sobre promessas esquecidas do futebol

Edinho fala sobre a quase vitória e o peso de ser filho de quem é

Quantas histórias de fracasso e frustração o futebol produz para cada ídolo que sobe ao pódio? Não é possível contar. Mas, ainda piores que os milhões de chutes a gol que não vão adiante são os dribles que ganharam  holofotes, sem passar de grandes promessas. A produtora Academia de Filmes reuniu oito histórias relevantes na série “Linhas Tortas”, que estreia nesta terça, no canal Play TV, sob direção de João Wainer.

Para abrir a lista, ninguém mais emblemáticos que Edinho, ex-goleiro do Santos, time que fez história mundial com o pai dele, absoluto ídolo mundial, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Além da parte de praxe que lhe cabia como defensor de um grande time, Edinho carregava nas costas o peso do DNA master, com contraste com o fundo do poço que o levou à depressão e à prisão, por acusação de tráfico de drogas, o que ele até hoje nega na Justiça. O episódio conta com depoimento preciso de Juca Kfouri: “Ele escolheu a profissão do pai, como vítima, ou seja, o goleiro, o profissional preparado para defender os mil gols”.

A lista de personagens da série se estende a Nando, irmão mais velho do Zico; Roma, ex-Flamengo; Jobson, com passagem marcante pelo Botafogo; Alceu (ex-Guarani); Renatinho (ex-São Paulo); Celsinho (ex-Figueirense e Londrina) e o saudoso Zé Mário, craque do Botafogo de Ribeirão Preto e contemporâneo de Sócrates nos anos 1980. De todos os ex-jogadores procurados pela produção, apenas Jobson se recusou a gravar seu depoimento.

“Para um jogador de futebol ter sucesso, ser um craque não é o único fator”, avalia Wainer. “Sem uma boa base familiar, estrutura psicológica e um pouco de sorte, todo o talento pode não servir para nada. Como bem disse Juca Kfouri, em uma de suas falas na série, ‘o jogador de futebol é o único cara que morre duas vezes. A primeira e mais dolorosa morte é quando ele é obrigado a parar de jogar.’”

A série vai ao ar pela Play TV (canal 122 na NET; 181 na Sky, 143 na OI, 118 na ClaroTV e 225 na Vivo)
Quando: terças a partir de 7 de novembro às 22h, com reprises às quintas e sábados às 22h.
Classificação: Livre

Datas dos episódios:
7 de novembro – episódio 1 – “Edinho, o Príncipe do Gueto”
14 de novembro – episódio 2 – “Nando, o jogador anistiado”
21 de novembro – episódio 3 – “Roma, o herói do Flamengo”
28 de novembro – episódio 4 – “Jobson, o herói de Conceição do Araguaia”
5 de dezembro – episódio 5 – “Alceu, o craque da base”
12 de dezembro – episódio 6 – Renatinho, o artilheiro da base”
19 de dezembro – episódio 7 – Celsinho, o craque da bola parada”
26 de dezembro – episódio 8 – “Zé Mário, o Homem Gol”

 

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione